Follow by Email

sexta-feira, agosto 28

educação e mudança(resumo do livro do PAULO FREIRE)

Método Paulo Freire

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



Método Paulo Freire: alfabetização pela conscientização
O Método Paulo Freire consiste numa proposta para a alfabetização de adultos desenvolvida pelo  que criticava o sistema tradicional, o qual utilizava a catrtigo como ferramenta central da  didatica para o ensino da leitura e da escrita. As cartilhas ensinavam pelo método da repetição de palavras soltas ou de frases criadas de forma forçosa, que comumente se denomina como linguagem de cartilha, por exemplo Eva viu a uva, o boi baba, a ave voa, dentre outros.

Etapas do método

  1. Etapa de Investigação: busca conjunta entre professor e aluno das palavras e temas mais significativos da vida do aluno, dentro de seu universo vocabular e da comunidade onde ele vive.
  2. Etapa de Tematização: momento da tomada de consciência do mundo, através da análise dos significados sociais dos temas e palavras.
  3. Etapa de Problematização: etapa em que o professor desafia e inspira o aluno a superar a visão mágica e a crítica do mundo, para uma postura conscientizada.

O método

  • As palavras geradoras: o processo proposto por Paulo Freire inicia-se pelo levantamento do universo vocabular dos alunos. Através de conversas informais, o educador observa os vocábulos mais usados pelos alunos e a comunidade, e assim seleciona as palavras que servirão de base para as lições. A quantidade de palavras geradoras pode variar entre 18 a 23 palavras, aproximadamente. Depois de composto o universo das palavras geradoras, apresenta-se elas em cartazes com imagens. Então, nos c inicia-se uma discussão para significá-las na realidade daquela turma.
  • A silabação: uma vez identificadas, cada palavra geradora passa a ser estudada através da divisão silábica, semelhantemente ao método tradicional. Cada sílaba se desdobra em sua respectiva família silábica, com a mudança da vogal. (i.e., BA-BE-BI-BO-BU)
  • As palavras novas: o passo seguinte é a formação de palavras novas. Usando as famílias silábicas agora conhecidas, o grupo forma palavras novas.
  • A conscientização: um ponto fundamental do método é a discussão sobre os diversos temas surgidos a partir das palavras geradoras. Para Paulo Freire, alfabetizar não pode se restringir aos processos de codificação e decodificação. Dessa forma, o objetivo da alfabetização de adultos é promover a conscientização acerca dos problemas cotidianos, a compreensão do mundo e o conhecimento da realidade social.

As fases de aplicação do método

Freire propõe a aplicação de seu método nas cinco fases seguintes
  • 1ª fase: Levantamento do universo vocabular do grupo. Nessa fase ocorrem as interações de aproximação e conhecimento mútuo, bem como a anotação das palavras da linguagem dos membros do grupo, respeitando seu linguajar típico.
  • 2ª fase: Escolha das palavras selecionadas, seguindo os critérios de riqueza fonética, dificuldades fonéticas - numa seqüência gradativa das mais simples para as mais complexas, do comprometimento pragmático da palavra na realidade social, cultural, política do grupo e/ou sua comunidade.
  • 3ª fase: Criação de situações existenciais características do grupo. Trata-se de situações inseridas na realidade local, que devem ser discutidas com o intuito de abrir perspectivas para a análise crítica consciente de problemas locais, regionais e nacionais.
  • 4ª fase: Criação das fichas-roteiro que funcionam como roteiro para os debates, as quais deverão servir como subsídios, sem no entanto seguir uma prescrição rígida.
  • 5ª fase: Criação de fichas de palavras para a decomposição das famílias fonéticas correspondentes às palavras geradoras.

História

Freire aplicou publicamente seu método, pela primeira vez no Centro de Cultura Dona Olegarinha, um Círculo de Cultura do Movimento de Cultura Popular  Foi aplicado inicialmente com 5 alunos, dos quais três aprenderam a ler e escrever em 30 horas, outros 2 desistiram antes de concluir. Baseado na experiência de Angicos, onde em 45 dias alfabetizaram-se 300 trabalhadores, João Goulart, presidente na época, chamou Paulo Freire para organizar uma Campanha Nacional de Alfabetização. Essa campanha tinha como objetivo alfabetizar 2 milhões de pessoas, em 20.000 círculos de cultura, e já contava com a participação da comunidade - só no estado da Guanabara (Rio de Janeiro) se inscreveram 6.000 pessoas. Mas com o Golpe de 64 toda essa mobilização social foi reprimida, Paulo Freire foi considerado subversivo, foi preso e depois exilado. Assim, esse projeto foi abortado. Em seu lugar surgiu o mobral, uma iniciativa para a alfabetização, porém, distinta dos ideais freirianos.

Notas e referências

  1. Educação Como Prática da Liberdade. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1967 (19 ed., 1989)
  • Livro: O que é método Paulo Freire.
Autor: Carlos Rodrigues Brandão (editor). São Paulo, Brasiliense, 1981.



Educação E Mudança
(Paulo Freire)


Não é possível fazer uma reflexão sobre o que é a educação sem refletir sobre o próprio homem . O cão e a árvore também são inacabados , mas o homem se sabe inacabado por isso se educa . A educação é uma resposta da finitude da infinitude . A educação é possível para o homem , porque este é inacabado e sabe-se inacabado . Isto leva-o A sua perfeição . O homem deve ser sujeito de sua própria educação , ninguém educa ninguém , o homem como ser inacabado , está em constante busca com outros seres . A sabedoria parte da ignorância . Não há ignorantes absolutos . Se num gropo de camponeses conversamos sobre colheitas , devemos ficar atentos para a possibilidade de eles saberem muito mais do que nós . Devemos analisar diferentes grupos , pois não podemos julgar as pessoas como ignorantes , cada uma tem algo a nos ensinar , o que falta a essas pessoas é um saber sistematizado . Com base no inacabamento , nasce o problema da esperança e da desesperança . Eu espero na medida em que começo a busca , pois não seria possível buscar sem esperança . Uma educação sem esperança não é educação . Aqui nos diz sobre a importância da esperança na educação , pois através dela haverá mudanças . Lembrando também a esperança na educação dos camponeses . Sobre o homem, Paulo Freire afirma que estehomem está no mundo e em relação como mundo. Se apenas estivesse no mundo não haveria transcendência nem se objetivaria a si mesmo . O animal não é um ser de relações , mas de contatos . Está no mundo e não com o mundo . Aqui encontramos uma diferença entre o homem e o animal , pois o homem está no mundo e com o mundo tendo relações , enquanto o animal apenas está no mundo e tem contatos . Estes contatos são sensoriais na medida em que o animal não é capaz de refletir sobre as sensações oriundas dos seus sentidos. A primeira característica desta relação é de refletir sobre este mesmo ato . Reflexão do homem face a realidade . A Segunda característica é a conseqüência resultante da criação e recriação que assemelha o homem a Deus . As relações do homem são também temporais e transcendentais . Esse livro enfoca a análise que Paulo Freire faz do sistema educacional no processo de mudança da sociedade . Freire começa seu trabalho referindo-se à responsabilidade do profissional de educação perante a sociedade , que desenvolve suas atividades e compromissos em colaborar com um processo de transformação. Assina-la também que a educação tem como elemento fundamental , como seu sujeito , o homem que busca , por meio dela , a superação de suas imperfeições , de seu saber relativo . Outra categoria de análise que encontramos em seu trabalho é o papel do trabalhador social em um processo de mudança , este tem uma atuação destacada na desmistificação da realidade distorcida , provocando o descobrimento da verdadeira dimensão na qual está imerso o trabalhador , o que poderá ser conseguido por meio da percepção crítica da realidade . Assim , mediante a conscientização dos indivíduos com os quais trabalho e de sua própria conscientização como produto do contato com eles , cumprirá o trabalhador social , o papel de agente de mudança . Freire comenta , os diferentes aspéctos que devem ser levados em cota no processo de alfabetização e conscientização de adultos . Relação íntima , dialética , com o contexto da sociedade onde se desenvolve este processo .
A primeira característica por exemplo faz com que o homem , no caso o educando reflita sobre sua própria realidade e quando ele à compreende , é capaz de transforma-la . Já a Segunda característica nos mostra a capacidade que o homem tem de criar e recriar que o assemelha a Deus . A educação deve estimular a opção e afirmar o homem como homem . Adaptar é acomodar , não transformar . Em todo homem existe um ímpeto criador , que nasce da inconclusão do homem . Cabe a educação desenvolver este ímpeto de criador , devemos dar oportunidades para que os educandos sejam eles mesmos , desenvolver neles uma consciência crítica que permite o homem transformar a realidade . Quando uma sociedade está em constante mudança de seus valores , podemos afirmar que estamos em transição , ou seja , temos de saber o que fomos , o que somos para saber o que seremos . A sociedade fechada é aquela em que o ponto de decisão econômico de uma sociedade está fora dela e dentro de uma outra sociedade matriz que é a que tem opções , em troca , as demais sociedades só recebem ordens . É uma sociedade servil onde há alto índice de analfabetismo e desinteresse total pela educação básica dos adultos . essa sociedade é muito prejudicial para quem quer ter uma oportunidade na vida . Uma sociedade é alienada quando não tem consciência de seu próprio existir , ou seja, quando pretende imitar a outrem , já não é ele mesmo . Um profissional alienado é um ser inautêntico , não olha pra a realidade com critério pessoal , mas com olhos alheios . Por isso vive uma realidade imaginária e não a sua própria realidade objetiva .
Postar um comentário